ASSOCIAÇÃO DE PRAÇAS DA POLÍCIA MILITAR E CORPO DE BOMBEIRO MILITAR DE MATO GROSSO DO SUL

DEFENDENDO A VALORIZAÇÃO DOS NOSSOS ASSOCIADOS COM AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA!

Entidades representativas discutem com o Comando de Policiamento Metropolitano uma possível mudança no regime de escala da PMMS

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Na manhã dessa sexta-feira (28), os representantes da Associação dos Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso do Sul (ASPRA-MS) e da Associação dos Militares Estaduais do MS (AME/MS), estiveram no Comando Geral da PMMS, a convite do Comandante do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) da PMMS, Cel PM Macedo, para conhecer sobre o Projeto OCOP (Obtenção de Capacidade Operacional Plena), que visa dar respostas mais efetivas e céleres a população da capital através do reforço Policial e aumento de viaturas no patrulhamento ostensivo e preventivo.

De acordo com o presidente da ASPRA-MS, Cb PM Ferreira, na ocasião também foi tratado sobre a situação da possível mudança do Regime de Escala, tema que tem sido amplamente discutido pelas entidades de classe e a categoria PMMS, onde o Cel Macedo foi categórico em afirmar que não haverá mudanças na Escala.

“Aproveitamos a visita para expor os argumentos que colhemos junto a tropa sobre manter a escala de 24/72 ou até mesmo instituir a escala 12/24 X 12/72 e ressaltamos a preocupação das entidades em participar ativamente da construção ou manutenção de uma escala que seja razoável e que atenda os anseios da categoria. Porém, segundo o comandante, tudo está em fase de estudo, mas que não há nenhuma definição quanto a mudança ou não da escala neste momento,” explicou Ferreira.

Além disso o Cel Macedo esclareceu que eles estão buscando experiências de escalas implantadas nas PMs de vários estados do Brasil, com o intuito de trazer a melhor, mais digna e mais eficiente Escala no âmbito da PMMS e garantiu que as entidades representativas deverão participar ativamente dessa construção. Uma iniciativa que tem como objetivo dar transparência e engajamento do Comando Geral com a tropa e com as associações.

Já com relação ao item 6 da Comunicação Interna (CI) que foi vazada, o comandante explicou que de forma alguma quis rotular, estereotipar, excluir, diminuir ou discriminar nenhum Policial Militar e que o contexto no qual foi exposto na CI está no puro sentido de coibir atos ilícitos dentro da corporação e reiterou que o texto trouxe dubiedade no entendimento principal, mas que na verdade o que se pretende é de proteger os bons e disciplinados miliares e que não corresponde com a visão do CPM e nem da gestão atual uma vez que o Comando, que tem o objetivo de cuidar e proteger seus pares, além de construir uma instituição mais forte, mais íntegra e longe das ciladas do crime.

ASPRA-MS e AME/MS seguem atentas e em alerta acerca do Regime de Escala, pauta de suma importância e de total interesse dos policiais militares.

Comente