ASSOCIAÇÃO DE PRAÇAS DA POLÍCIA MILITAR E CORPO DE BOMBEIRO MILITAR DE MATO GROSSO DO SUL

DEFENDENDO A VALORIZAÇÃO DOS NOSSOS ASSOCIADOS COM AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA!

ASPRA-MS vê denúncia como sendo de “atitude isolada e com objetivos escusos”

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A Associação de Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do MS (ASPRA-MS), vem a público para ressaltar os interesses pretendidos na denúncia feita ao site Midiamax, onde alunos denunciaram aglomeração e surto de Covid-19 em curso de formação da PM e entende que os fatos relatados são isolados e obscuros.

O comando da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul (PMMS), juntamente com o Comando do Centro de Ensino, Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CEFAP), montaram uma ampla estrutura para salvaguardar e verificar o estado de saúde dos militares que passam pelo local, além de seguir e cumprir todas as normas de biossegurança determinadas pelas autoridades competentes, para que o curso pudesse ocorrer de forma segura.

A ASPRA-MS ressalta que todos os alunos foram e são devidamente orientados e também são constantemente fiscalizados durante a permanência na unidade de ensino, local onde o uso de máscara é obrigatório e também é necessário que o distanciamento recomendado seja obedecido por todos. A unidade também orienta a devida e necessária higienização das mãos com água e sabão e também possui recipientes de álcool líquido e em gel distribuídos em locais estratégicos para a utilização dos alunos.

Algumas matérias curriculares necessárias à formação dos novos soldados e sargentos estão sendo realizadas através do sistema de ensino a distância (EAD) e somente as matérias e provas práticas, que são consideradas extremamente necessárias, como, por exemplo, a instrução de tiro policial, foram realizadas presencialmente e, mesmo assim, segundo os próprios alunos, foram realizadas obedecendo todas as medidas de biossegurança.

Não é possível garantir que os denunciantes contraíram a COVID-19 durante as instruções, tendo em vista que o vírus possa estar presente em todos lugares e ambientes em que os alunos possam ter frequentados, inclusive no período de folgas. Além disso, nenhum associado ou não sócio propôs denúncia ou reclamação através desta entidade classista.

Segundo alguns alunos dos cursos de formação em andamento, que preferiram não se identificar, desconfia-se que os denunciantes não queriam participar da formatura presencial, por motivos particulares. Mas relatam que quase todos os outros formandos, gostariam que a cerimônia fosse realizada de forma presencial, gerando um impasse que poderia ser solucionado por intermédio da associação, ou até mesmo mediante uma prévia comunicação com a unidade de ensino, já que a solenidade de formatura não é de caráter obrigatório.

A ASPRA-MS enaltece o trabalho do Comandante Geral, Cel PM Marcos Paulo Gimenes, o Subcomandante Geral, Cel PM Renato dos Anjos Garnes e também ao comandante do CEFAP, Tem Cel PM, Marcelo Santos do Amaral, que mesmo diante de todas dificuldades e barreiras impostas diante da atual crise de saúde global, realizaram o possível para que a realização dos cursos, possibilitando a tão sonhada e ascensão na carreira, bem como o efetivo ingresso nas fileiras da instituição militar de MS.

Aproveitamos para informar que atendendo aos pedidos feitos pela ASPRA-MS, de outras entidades classistas e do Comando da PMMS, os militares foram inseridos nos grupos prioritários e as vacinações seguem ocorrendo por faixa etária e o quanto antes pretende-se imunizar todos os Policiais e Bombeiros da ativa contra a COVID-19.

E em nome de toda a nossa Diretoria, ressaltamos que a continuidade dos cursos de formação é uma demanda permanente dos nossos associados, bem como de todos os militares, pois são através destes cursos que os nossos Policiais e Bombeiros irão se tornam cada vez mais capacitados e devidamente valorizados.

Comente